Marcos Queiroz

é professor do Instituto Brasiliense de Direito Público. Doutorando em Direito pela UnB (sanduíche na UNAL/COL).

A sociologia militante de Guerreiro Ramos

O sociólogo e político Guerreiro Ramos nasceu neste dia em 1915. Cassado durante a ditadura e silenciado pelo racismo institucionalizado, tentou superar o que enxergava como um academicismo colonizado da intelectualidade brasileira, mais preocupado em agradar o mundo estrangeiro do que em entender nosso povo.

A mais universal das Revoluções

Em 14 de agosto de 1791 foi proclamado o grito da Revolução Haitiana, a faísca que incendiou as lutas anti-coloniais latino-americanas e aterrorizou as elites proprietárias. A voz da liberdade encarnada pelos Jacobinos Negros assombra uma classe e inspira outra até hoje.

Fanon e a violência revolucionária

Em 20 de julho de 1925, nascia o revolucionário anticolonial, psiquiatra e intelectual Frantz Fanon. Sua militância na Frente de Libertação Nacional e seu trabalho sobre a psicologia do colonizado são inspirações incontornáveis para retomar a radicalidade da estratégia socialista.

Clóvis Moura e os heróis sem monumentos

A história oficial do Brasil e esculturas de escravistas, genocidas e comerciantes negreiros demonstra como o aparelho ideológico dominado pela elite branca constrói uma verdadeira obstrução do passado. Essa não é um debate em torno da memória e do esquecimento, mas uma disputa sobre que futuro queremos construir.