Corbyn está mudando a forma de fazer política

19/10/2019

Por
Dawn Foster

Tradução
Giuliana Almada

Nos dias de hoje, os partidos políticos raramente têm contato com os eleitores comuns, exceto no momento das eleições. Com seu novo programa de organização comunitária, o Partido Trabalhista Britânica está começando a mudar isso.

O líder trabalhista Jeremy Corbyn gesticula ao sair de um comício após traçar planos para a revolução industrial verde do Partido Trabalhista no norte do país, dia 26 de julho de 2019 em Manchester, Inglaterra. (Darren Staples / Getty Images)

No saguão de um novo bloco de apartamentos, construído seis anos atrás, o cheiro de tinta fresca é forte e a equipe de limpeza e manutenção passa correndo. Os inquilinos sorriem ironicamente, ressaltando que a equipe de limpeza não costuma aparecer nas quinta-feiras, tampouco fazer a limpeza tão rigorosamente. O novo foco na limpeza e a pressa repentina de concluir uma série de reparos já solicitados há muito tempo parecem ter coincidido com a notícia ouvida pelos proprietários de que o líder trabalhista Jeremy Corbyn faria uma visita.

O empreendimento residencial em Wandsworth, no sudoeste de Londres, incorporou um bloco de habitação social em meio aos blocos de luxo circundantes, a fim de cumprir as leis de planejamento britânicas que exigem que grandes projetos devolvam à comunidade de alguma maneira, através de apartamentos sociais, construção de parques públicos ou consultórios médicos. Contudo, a habitação social é frequentemente construída de forma barata e sem manutenção adequada — quando sequer acontece. Os inquilinos foram recebidos com uma umidade terrível quando se mudaram, vazamentos de água quente pelas paredes, mofo em todos os cantos e claros riscos de incêndio. Conheci uma adolescente dependente de um inalador para asma, que desenvolveu devida a umidade no local, que tem ataques de pânico à noite, por medo de que sua família fique presa num incêndio. Uma tomada no armário ao lado do seu apartamento pegou fogo após enferrujar devido a um vazamento, causando um curto-circuito; os bombeiros disseram aos inquilinos que o incêndio só foi apagado por causa de um vazamento maior. As fotos da tomada mostram o plástico manchado e a ferrugem.

Felizmente, outros acidentes têm sido evitados: os painéis de vidro de duas varandas caíram no chão, deixando andares altos sem barreiras, em apartamentos com crianças e pessoas vulneráveis.

Corbyn está visitando para ver o trabalho que os inquilinos têm feito com a equipe de organização comunitária do Partido Trabalhista: eles estavam fartos das suas condições, mas se sentiam impotentes. Ao ouvirem sobre os problemas, os organizadores puderam aconselhá-los sobre as ações que poderiam fazer para alcançar os resultados esperados. Os inquilinos usaram seus próprios recursos para documentar os problemas do condomínio com câmeras, compilando fotos e vídeos para que os proprietários não pudessem negar a gravidade do problema. A primeira reunião com um executivo sênior da empresa de administração A2Dominion, o conselho local e a deputada conservadora local Justine Greening não correu bem: em vez de se reunirem no condomínio, as outras partes insistiram para que os inquilinos os encontrassem no segundo andar de um bar na vizinhança, que não tinha elevador. Muitos inquilinos tinham deficiências físicas ou não se sentiram à vontade entrando em estabelecimentos que vendem álcool, mas o executivo foi agressivo e a parlamentar displicente.

“Duas mulheres me contaram que haviam se encontrado no elevador e começaram a falar sobre o quão zangadas estavam com a condição dos seus apartamentos, e isso se espalhou por toda a associação no condomínio — a equipe de organização comunitária foi a facilitadora disso”, me contou Corbyn depois de uma reunião privada com alguns inquilinos, seguida de uma reunião pública maior em um dos apartamentos cheios de problemas. “A partir daí, as demandas serão postas à A2Dominion, no Conselho de Wandsworth, mas em um nível mais amplo, são demandas que estão sendo postas a nós, do Partido Trabalhista, sobre como reagiremos a essa questão no futuro. Fui questionado sobre isso mais cedo e disse que estaria interessado em ouvir as opiniões deles sobre os detalhes políticos, mas se trata, essencialmente, da responsabilidade democrática das associações habitacionais e dos direitos dos inquilinos”.

O trabalho dos organizadores comunitários irá alimentar o  planejamento de políticas e manifestos do Partido Trabalhista — os problemas encontrados nas áreas-alvo do partido e nas comunidades atingidas pela austeridade ajudarão a priorizar certas abordagens de questões sociais. O foco na organização comunitária foi um compromisso de Corbyn nas campanhas de liderança de 2015 e 2016, “e demorou um pouco mais do que eu esperava”. Mas hoje inclui dez organizadores digitais criando conteúdo social e audiovisual para campanhas e vinte organizadores de campo em comunidades que tem conversado com os moradores locais que enfrentam problemas de moradia, educação, bem-estar, saúde e emprego.

“Em Londres, isso é parte de um problema muito mais amplo de limpeza social: a política habitacional é orientada pelo valor da propriedade e isso significa que muito dinheiro pode ser ganho em propriedades no centro de Londres; portanto, você pode construir mais, por menos, em outro lugar. Isso significa que muitas associações habitacionais estão vendendo imóveis e terrenos ou fazendo incorporações para venda privada em áreas centrais da cidade, o que significa que as comunidades da classe trabalhadora são transferidas para fora da cidade e precisam viajar diariamente para chegar no trabalho. Não está certo”, diz Corbyn.

As equipes de organização comunitária naturalmente trabalham para aumentar o voto trabalhista nas áreas locais: trabalhando com a comunidade, elas conseguem apurar as questões de interesse dos locais, pelas quais os candidatos parlamentares devem lutar e se envolver. Em Wandsworth, o candidato local Fleur Anderson acompanha Corbyn na visita e fala separadamente com os inquilinos. A equipe de organização comunitária também tem trabalhado para aumentar a presença digital dos candidatos, além de trabalhar em questões sociais. “Eu queria criar equipes de organização comunitária após ser eleito líder do partido, e demorou um pouco mais do que eu gostaria para que elas fossem montadas. Mas agora temos equipes na maior parte do país, e seu trabalho é ser responsável dentro da comunidade por organizar questões sociais em uma variedade de temas”, diz Corbyn. “Crédito universal, moradia e responsabilidade educacional nas escolas são questões, assim como a construção de apoio político dentro das comunidades”.

Em vez de simplesmente distribuir folhetos e bater à porta dos eleitores em potencial, a equipe está trabalhando dentro da comunidade para abordar e identificar problemas e, espera-se, resolvê-los. O trabalho tenta incorporar adequadamente os partidos trabalhistas locais nas comunidades, em vez de simplesmente ligar para os eleitores no momento da eleição. “No final, eles empoderaram uma comunidade: de um bloco habitacional construído apenas seis anos atrás — a maioria das pessoas está aqui há alguns anos — temos um senso muito forte de comunidade e um verdadeiro senso de unidade”, diz Corbyn. “Esse novo grupo de inquilinos já entrou em contato com outros inquilinos da A2Dominion, que começou a ficar nervosa e a responder mais rápido: isso mostra a força de agir em uníssono. Muito bem, pessoal.”

Sobre o autor

é escritora da equipe jacobina, colunista do The Guardian e autora do livro "Lean Out".